Esquadrão Suicida # Resenha


Gente, este filme é centrado em nada menos que supervilões!
De início, vem uma série de apresentações dos personagens, intercalados com flashback e por fim é direcionado por Amanda Waller, chefe da Força tarefa X, à ameaça para o grupo de vilões: uma feiticeira que ameaça exterminar a humanidade. Entre vilões, aparições rápida do The Flash e o próprio Batman, Esquadrão Suicida é um filme que parece que vai detonar, mas fica abaixo das expectativas para muitos fãs ou não dos HQ.

               UM POUCO SOBRE OS PERSONAGENS:


Personagem mais poderosa do time, June Moone, "MAGIA" (atriz Cara Delevingne), nos gibis é convidada para uma festa em um castelo antigo e acaba ganhando poderes mágicos de uma entidade desconhecida. Aqui, no filme, essa entidade se incorpora durante uma visita a uma caverna. A princípio nos quadrinhos, de acordo com algumas pesquisas que fiz ao universo da DC, "Magia" é uma super heroína, que após alguns anos sem aparecer nas histórias, retorna como uma vilã enlouquecida, sem nenhum motivo ou explicação para os leitores. Ela é a grande ameaça que os vilões terão que enfrentar.



Floyd Lawton - O pistoleiro, interpretado por Will Smith, é uma pessoa com tendências suicidas, o que faz dele o representante principal da equipe. Nos gibis, O pistoleiro é um antagonista de Batman, que por ser muito habilidoso com armas de fogo, acha que pode substituí-lo. Mas Batman descobre que ele estava de conchave com os bandidos e acaba com a onda dele. No filme veremos o BATMAN, de Ben Aflleck, em flashback, na captura do pistoleiro.


O grande destaque, acho mesmo, ficou por conta de MARGOT ROBBIE (a Jane do Tarzan), como a ARLEQUINA. Além da beleza da atriz, a caracterização da personagem convenceu. É bonita, colorida, divertida e incrívelmente desmiolada. O filme não mostra a profundidade de sua ligação com o Coringa, que sabemos (ou não) através dos quadrinhos, por isso para muitos talvez seja uma grande surpresa. A Dra. Harley Quinn (ARLEQUINA) é uma psiquiatra que, após se apaixonar pelo Coringa, enlouquece e se torna sua ajudante. Nos gibis, ela decide matar o BATMAN para conquistar seu amado. No fim ela acaba ferida e presa no Arkham, mas volta a se apaixonar pelo palhaço do crime.



Quanto ao CORINGA, de Jared Leto, o que dizer? Melhor nem comparar com o Coringa de Heather Ledger do filme Batman, o cavaleiro das trevas. Não gostei muito da construção desse personagem. Uma pena, pois amo as interpretações do Jared. Ele aparece pouco na trama e quando o faz, parece deslocado, sem propósito. Segundo entrevista do ator, muito dele foi tirado na versão final, o que considero que sua performance ficou prejudicada como um todo.



Os demais personagens, cada um deles, com características próprias, em algum momento da trama, proporcionam ótimas tiradas de humor. Quero ressaltar a brilhante e não menos bonita (se é que me entendem) interpretação de Joel Kinnaman no papel de RICK FLAG, militar casca grossa, mas pouco respeitado pelo grupo, mas o líder ideal para a missão com o Esquadrão suicida.
Não vá assistir esperando a oitava maravilha do cinema, mas com certeza, ESQUADRÃO SUICIDA é um filme que tranquilamente diverte. Aguardem os pós créditos, pois têm uma cena em que será definido o futuro do grupo.


                                                         Até a próxima, pessoal. Bjos!


                            



6 comentários

  1. Oi Liza!
    Então, esse filme gerou muita polêmica, antes e depois de ser lançado, e eu fiquei com um super pé atrás pra assistir. A falta de coerência com as HQ's foi o que mais me incomodou, o "romance" entre o Coringa e a Arlequina principalmente, porque eu sei que a história não é bem assim. Mas de qualquer forma preciso ver pra tirar minhas próprias conclusões né ;)

    Beijos
    www.ascronicasde1livroviajante.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ana! É sempre um prazer tê-la por aqui, tecendo comentários relevantes e muito bem colocados. Em minha resenha, dei apenas uma pincelada na história e nos personagens, pois não conhecia nem um terço deles. Por isso, não quis me aprofundar em opiniões negativas, pois estaria arriscando falar de um grande universo, que é a DC. Vendo o mesmo de mente aberta, como uma história que corre paralela, a tantas desses personagens, gostei de como alguns se apresentam e notamos que muita coisa deixou de ser mencionada, o que deixa a trama um pouco capenga... mas a nível de entretenimento, como mera expectadora, gostei. Por isso, acredito que assistir e tirar suas próprias conclusões é super válido, pois nem todos temos a mesma opinião, não é mesmo?! É ir ao cinema já por si só, já é uma grande distração! Bjos!

      Excluir
  2. Beth os personagens são um máximo, até engraçados, mas vejo pela internet que muitas pessoas não gostaram do filme, mas lendo a resenha achei bastante interessante, fiquei curiosa pelo filme, Beth bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lucimar! Que bom tê-la por aqui. Antes de ir ver, também vi alguns comentários contra e outros a favor. Então resolvi ir assistir e ver o que de fato sobre o que era o filme. Não acompanho os gibis e sei que muito no filme não foi dito, mas como mero entretenimento, algumas partes foram bem divertidas. Bjos

      Excluir
  3. Só pela caracterização parece super legal, eu gosto muito e Nathan com certeza iria amar
    Bjs

    mamaenathan.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Beth!!!!!! Finalmente achei seu blog, esse é meu novo blog: www.generoproibido.blogspot.com.br, segue lá! ^^

    Assisti o filme e achei muito bacana, principalmente pelas tomadas das ações e da trilha sonora! Foi alvo de muitas críticas no lançamento, achei muito bacana! Estou mesmo no aguardo do filme da Mulher Maravilha, esse sim vai arrasar! ^^
    Adorei a resenha Beth, adoro sua jogada de filmes e livros! Parabéns, o blog ta cada dia mais lindo.

    Beijos! Ste.

    ResponderExcluir